Tuesday, April 8, 2008

Esperança * Hope * Espoir * Speranza * Hoffnung * Hoop * 希望 * 희망 * ελπίδα * упование

Traumas, desilusões, frustrações, esperanças goradas, fazem parte da bagagem que carregamos pela vida e são tão inevitáveis quanto o é um dia após o outro.
Em maior ou menor escala todos sofremos decepções em algum ou em vários momentos ao longo dos anos. Marcam, caracterizam e determinam comportamentos e é esse facto que lhes confere importância. Mesmo aqueles insucessos dos quais nos rimos mais tarde deixam o seu marco, ainda que imperceptível no plano consciente.
Dada a sua inevitabilidade, resta-nos aprender a lidar com as más experiências e também com os seus efeitos. Trata-se de um trabalho duro e não raras vezes doloroso, sendo em muitos casos, dependendo da gravidade da questão, um trabalho a desenvolver pela vida fora. Tomar consciência dessa necessidade é apenas o primeiro passo.
Estar na - e de bem com a - vida é uma aprendizagem que passa primeiramente por um conhecimento do nosso próprio ser, sem virar a cara ao que temos cá dentro de negativo e sem fugir das dores que sofremos no passado, antes, encarando-as e crescendo sobre elas.
Não me arrogo a autoridade psicanalítica. Nada de novo no que digo acima. Apenas conheço cada vez mais gente desprovida de ânimo e de esperança. A descrença na vida, nas pessoas, no amor e em tudo o que é positivo pautam os seus dias, os seus discursos, as suas atitudes. Fecham-se em casa, impedem-se de viver e, pior do que isso, fecham-se dentro de si próprias como se erguessem muros altos e intransponíveis.
Esta mensagem é para essas pessoas - eu tenho esperança, afinal até o muro mais intransponível da história ruiu um dia.

4 comments:

Su said...

È, a vida oferece e tira ao mesmo tempo, e as vezes, tira tanto tanto, que nos fechamos numa especie de panico de voltar a sofrer tudo aquilo...

Quanto a mim, o que tenho a dizer é que realmente á momentos mais complicados, e lembro-me as vezes q afinalo tempo passa e os medos estão cá todos, e nem sempre a coragem é a melhor, acho que o meu lema é seguir em frente, com tudo dentro, mas seguir, arriscar, viver!

BEijo de madrugada.

M said...

A vida é feita de momentos bons e momentos maus... deviamos aprender e crescer com os momentos maus e aproveitar essa aprendizagem para curtir ao máximo os momentos bons... ao perder a esperança, perde-se tudo e maior parte das pessoas que vejo diariamente já perderam essa esperança e resignaram-se, não vivem, simplesmente existem...

Rui said...

Desconfio que o muro mais intransponível existe dentro de nós. E derrubá-lo exige, por vezes, instrumentos que não possuímos.
É fundamental a consciência que é possível fazê-lo cair. Um sopro pode ser o quanto baste.

Eyes wide open said...

Tão verdade...


*